Terça-feira, 19 de Setembro de 2006

Acho que já ouvi isto em qualquer lado...

Breve notícia no Público de hoje:

"Primeiro-ministro húngaro reconhece que mentiu"

"O primeiro-ministro da Hungria, Ferenc Gyurcsany, 45 anos, eleito em Setembro de 2004, confirmou ontem a autenticidade de uma gravação que veio a público onde diz que a sua coligação de socialistas e liberais teve de mentir para ganhar as legislativas de Abril último. Partes do seu discurso numa reunião do Partido Socialista Húngaro (MSZP) foram emitidas na rádio estatal: "Não se pode citar qualquer medida significativa de que nos possamos orgulhar, excepto o facto de ao fim e ao cabo havermos conseguido retirar o Governo do abismo. Se temos de prestar contas ao país do que fizemos, o que é que havemos de dizer? Mentimos de manhã à noite." No domingo, 3 mil pessoas concentradas junto ao Parlamento pediram a sua demissão, depois do escândalo. Mas o chefe do Executivo disse que não o fará. O país tem sofrido défices orçamentais desde 2000 e recentemente submeteu à Comissão Europeia um plano para reduzir o seu défice, que é o maior dos Vinte e Cinco."

Soa-vos a familiar?
:
Abraracourcix o chefe falou sobre: ,
um discurso de Abraracourcix às 09:13
link do discurso | comentar - que alegre boa ideia!
4 comentários:
De Héliocoptero a 19 de Setembro de 2006 às 11:00
Cá somos muito mais calminhos na reacção, até porque costuma ser o executivo seguinte a denunciar a mentira do seu antecessor. Brandos costumes, indeed ...
De max a 21 de Setembro de 2006 às 13:37
Assombrosa é, no entanto, o comportamento da extrema direita húngara. Anteontem conseguiram pilhar as instalações da Sede da TV Estatal em Budapeste.

A seguir muito de perto o que acontece na Hungria. Que se aprendam as lições que dali sairão...
De Abraracourcix a 21 de Setembro de 2006 às 14:41
Max, dizes que os protestos em curso na Hungria estão a ser orquestrados pela extrema direita?
O centro/leste europeu está todo ele a ser assolado por um crescimento assustador da extrema direita. Esse crescimento é, a meu ver, fruto da conjuntura de múltiplos factores, alguns dos quais não reprodutíveis fora do contexto daquela zona da Europa. Não significa que não haja lições a extrair...
O que mais me faz confusão, no entanto, é lembrar-me da celeuma que foi quando há uns anos se formou na Áustria um governo com a participação da extrema direita, quando só faltou ameaçar os austríacos de expulsão da UE. Comparo o então sucedido com os dados recentes - que me parecem muito mais importantes - não de um, mas de vários países da UE, que pelos vistos para Bruxelas são membros de segunda, os quais não merecem o mesmo tipo de atenção...aliás,não merecem qualquer tipo de atenção. Mais do que hipocrisia, é um enterrar a cabeça na areia muito, mas muito, assustador...
E é um fenómeno que parece estar a espalhar-se em toda a Europa dita "de Leste" à velocidade de um incêndio de Verão... Para Portugal talvez nem tanto (pelo menos não a curto/médio prazo), mas para a UE como instituição, e para muitos dos seus membros, seria importante tomar uma posição firme o quanto antes.
(estou a ser lírico, eu sei, isto não vai acontecer, e a Europa vai correr um risco sério de se desmoronar, de implodir...veremos se tem forças para resistir aos fortes abalos que virão)
De Abraracourcix a 21 de Setembro de 2006 às 17:22
Ainda não tinha lido o teu post. Estou (ligeiramente) mais sossegado, mas tudo o que disse no comentário mantém-se.

comentar - começar zaragata



Neste blog é permitido fumar





Be an Ocean Defender

Os melhores javalis


O chefe viu:
   "Nightwatchers", Peter Greenaway

  

 

   "The Happening", M. Night Shyamalan

  

 

   "Blade Runner" (final cut), Ridley Scott

  


O chefe está a ler:
   "Entre os Dois Palácios", Naguib Mahfouz

O chefe tem ouvido:
   Clap Your Hands Say Yeah, Some Loud Thunder

   Radiohead, In Rainbows
 

por toutatis! que o céu não nos caia em cima da cabeça...

As odisseias de Abraracourcix



create your own visited countries map

Abraracourcix o chefe falou sobre

11 de setembro(18)

aborto(28)

admirável mundo novo(5)

aeroporto(3)

afeganistão(1)

alemanha(1)

altermundo(9)

ambiente(14)

amnistia(1)

austrália(1)

birmânia(1)

brasil(1)

camarate(1)

cambodja(1)

cartoons(31)

chile(4)

china(4)

cinema(15)

coreia do norte(4)

cuba(1)

cultura(29)

dakar(1)

democracia(10)

desporto(29)

economia(13)

educação(2)

egipto(1)

espanha(3)

frança(8)

futebol(4)

gaulesa aldeia(20)

h2homo(7)

holanda(4)

hungria(1)

igreja(6)

imigração(3)

incêndios(2)

índia(1)

indonésia(1)

internacional(151)

irão(7)

iraque(18)

irredutíveis gauleses(16)

japão(1)

kosovo(1)

laos(1)

líbano(16)

lisboa(1)

literatura(3)

madeira(2)

mauritânia(1)

media(8)

méxico(1)

música(7)

nacional(102)

nuclear(7)

odisseias(4)

palestina(4)

paquistão(1)

peru(3)

política(13)

polónia(2)

porto(1)

prémios(13)

reino unido(1)

religião(7)

rússia(6)

saúde(13)

síria(1)

sociedade(37)

sócrates(4)

somália(5)

srebrenica(5)

sudão(1)

tailândia(2)

tchetchénia(2)

tibete(5)

timor(2)

todas as estrelas do céu(26)

turquemenistão(1)

turquia(4)

ue(10)

uk(6)

ulster(2)

usa(21)

videos(6)

vietname(1)

zimbabwe(2)

todas as tags

procurar nos discursos

 

discursos recentes

Abraracourcix e a sua ald...

O fim do petróleo - cenár...

Não às detenções secretas

Razões antropológicas par...

Altermundo reaberto

Vive la France

Bem vindos ao Turquemenis...

Break my arms...

Editors

O PCP e o Tibete: a minha...

O PCP e o Tibete: respost...

Mais um pouco de luz para...

Luz ao fundo do túnel par...

Mail por mim enviado ao P...

Eleitoralismo precoce

discursos antigos

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Janeiro 2005

Outubro 2004

Setembro 2004

habitantes: