Quarta-feira, 4 de Outubro de 2006

Reorganização da rede de Urgências hospitalares: no papel é uma coisa...

...na realidade poderá revelar-se outra diferente. Isto porque a comissão de peritos encarregue do processo, a julgar pelos sinais, só conhece mesmo o país no papel - só assim consigo explicar algumas das decisões tomadas.
Se o encerramento de algumas urgências me parece relativamente pacífico numa lógica de racionalização (Vila do Conde, Fafe, Sto. Tirso, Estarreja, Cantanhede, Anadia, Fundão, Montijo, todas elas já de diminuta importância; mesmo Macedo de Cavaleiros, onde já estive, custa-me aceitar mas até compreendo), já o de outras me levanta questões que não vi respondidas: Régua não fica demasiado longe de Vila Real para justificar o encerramento? O encerramento simultâneo das uirgências de Espinho, São João da Madeira e Ovar, que passarão todas a drenar para o Hospital da Feira, não sobrecarregará em demasia este último?
E o que dizer do encerramento da urgência do Curry Cabral, que apenas prestava apoio em algumas áreas relacionadas com trauma? Se, como li hoje, "com 529 mil habitantes, considera-se que três hospitais com urgências do tipo polivalente e médico-cirúrgicos em Lisboa são suficientes", por outro lado, ontem dizia-se que "entre os critérios está a população servida (uma urgência por 120 mil habitantes)"... Não bate certo, pelo menos na minha matemática...
Um olhar atento à zona que conheço melhor, por ser onde vivo, é revelador das limitações do trabalho realizado pelos ditos "peritos"... e se estas limitações ocorrem no Grande Porto, também tenho de admitir que ocorram noutras zonas, que por não conhecer tão bem não vou abordar. No âmbito da reestruturação, e tendo em conta o citado critério, que é tido como o mais importante, de uma urgência para 120 mil habitantes, é em toda a linha questionável a perda de valências do Hospital de Gaia (passará de polivalente para médico-cirúrgico apenas) - só o concelho de Vila Nova de Gaia tem pelo menos duas vezes os tais 120 mil habitantes...
Junta-se a isto o encerramento da urgência de Vila do Conde (que em si não é questionável) e a perda de valências da urgência da Póvoa de Varzim (passa de médico-cirúrgico para "serviço de urgência básico"), ambos em zonas que drenam para o Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e as declarações da directora do serviço de urgências deste, atestando que, sendo  "os casos graves desta zona serão, assim, transferidos para Matosinhos que, já com uma média superior a 300 atendimentos por dia, terá sérias dificuldades em acolhê-los, a não ser que os recursos humanos sejam reforçados e as instalações adaptadas. "Esta urgência foi programada para 200 doentes por dia".
Temos assim um exemplo de como os ditos "peritos" não parecem ter tirado os olhos do papel. Para além disso, também não me parece que tenham visto o sistema como um todo, mas antes olhando para cada caso isoladamente. Veremos se a realidade contradiz ou corrobora o papel...
:
Abraracourcix o chefe falou sobre: ,
um discurso de Abraracourcix às 14:30
link do discurso | comentar - que alegre boa ideia!
2 comentários:
De Nuno Lopes a 6 de Outubro de 2006 às 23:09
Custa-me entender a política de saúde deste governo, que sendo de esquerda, tem tido atitudes de direita que não lembrariam ao PSD. Se algumas são necessárias e lógicas, estes cortes nas urgências e maternidades começam a fazer suspeitar que na tentativa de controlar o déficite, o governo quer cortar a direito nas despesas da saúde. Eu cá começava por controlar primeiro as despesas do telemóvel do Primeiro-Ministro, e seguia por aí. Pode ser que seja micro-management da minha parte mas, pelo menos por uma vez, gostava de ver que os sacrifícios da população eram partilhados pelos governantes.

Bom blog.

Fica bem.
De Abraracourcix a 9 de Outubro de 2006 às 09:55
Em termos de saúde, este governo tem ousado, e continuarã certamente a ousar, ir, qual Star Trek, muito mais longe do que alguém foi antes dele em termos de política à direita e, pior, abrir o caminho a uma institucionalização do privado e subalternização do público... Não me parece que seja uma questão de controlo do défice, acho que é convicção (a)política mesmo...

comentar - começar zaragata



Neste blog é permitido fumar





Be an Ocean Defender

Os melhores javalis


O chefe viu:
   "Nightwatchers", Peter Greenaway

  

 

   "The Happening", M. Night Shyamalan

  

 

   "Blade Runner" (final cut), Ridley Scott

  


O chefe está a ler:
   "Entre os Dois Palácios", Naguib Mahfouz

O chefe tem ouvido:
   Clap Your Hands Say Yeah, Some Loud Thunder

   Radiohead, In Rainbows
 

por toutatis! que o céu não nos caia em cima da cabeça...

As odisseias de Abraracourcix



create your own visited countries map

Abraracourcix o chefe falou sobre

11 de setembro(18)

aborto(28)

admirável mundo novo(5)

aeroporto(3)

afeganistão(1)

alemanha(1)

altermundo(9)

ambiente(14)

amnistia(1)

austrália(1)

birmânia(1)

brasil(1)

camarate(1)

cambodja(1)

cartoons(31)

chile(4)

china(4)

cinema(15)

coreia do norte(4)

cuba(1)

cultura(29)

dakar(1)

democracia(10)

desporto(29)

economia(13)

educação(2)

egipto(1)

espanha(3)

frança(8)

futebol(4)

gaulesa aldeia(20)

h2homo(7)

holanda(4)

hungria(1)

igreja(6)

imigração(3)

incêndios(2)

índia(1)

indonésia(1)

internacional(151)

irão(7)

iraque(18)

irredutíveis gauleses(16)

japão(1)

kosovo(1)

laos(1)

líbano(16)

lisboa(1)

literatura(3)

madeira(2)

mauritânia(1)

media(8)

méxico(1)

música(7)

nacional(102)

nuclear(7)

odisseias(4)

palestina(4)

paquistão(1)

peru(3)

política(13)

polónia(2)

porto(1)

prémios(13)

reino unido(1)

religião(7)

rússia(6)

saúde(13)

síria(1)

sociedade(37)

sócrates(4)

somália(5)

srebrenica(5)

sudão(1)

tailândia(2)

tchetchénia(2)

tibete(5)

timor(2)

todas as estrelas do céu(26)

turquemenistão(1)

turquia(4)

ue(10)

uk(6)

ulster(2)

usa(21)

videos(6)

vietname(1)

zimbabwe(2)

todas as tags

procurar nos discursos

 

discursos recentes

Abraracourcix e a sua ald...

O fim do petróleo - cenár...

Não às detenções secretas

Razões antropológicas par...

Altermundo reaberto

Vive la France

Bem vindos ao Turquemenis...

Break my arms...

Editors

O PCP e o Tibete: a minha...

O PCP e o Tibete: respost...

Mais um pouco de luz para...

Luz ao fundo do túnel par...

Mail por mim enviado ao P...

Eleitoralismo precoce

discursos antigos

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Janeiro 2005

Outubro 2004

Setembro 2004

habitantes: