Segunda-feira, 6 de Novembro de 2006

Impressões de viagem - política à peruana

O regresso à realidade, depois de 15 dias completamente out of touch, está a ser mais difícil que o expectável... por isso também o atraso na publicação do que já tinha projectado: algumas notas de viagem sobre aspectos, digamos, interessantes, da sociedade peruana. Para começar, a política...
À chegada, admito, pouco sabia da actualidade política do Peru, excepto as notícias relacionadas com o affaire Fujimori e que o presidente se chama Alan García, que é conservador e que tinha derrotado nas eleições um candidato "indigenista", Ollanta Humala, consagrando uma cisão entre o litoral e as maiores cidades, que apostaram em García, e as zonas montanhosas e de selva - onde como constatei durante a viagem o "espírito inca" se mantém mais vivo - que preferiram Humala. Fiquei no entanto a saber de imediato que vai haver proximamente (não percebi se já em Novembro ou só em 2007, pois vi as duas datas escritas) eleições regionais e locais.Soube-o de imediato porque é impossível escapar à omnipresente propaganda eleitoral. Parcas em fundos (presumo ser esse o motivo), as campanhas tornam-se inventivas, e aproveitam qualquer muro, qualquer pedra para pintar cartazes eleitorais. Sim, pintar: no Peru as mensagens eleitorais são pintadas sobre as paredes das próprias casas, sobre muros, até em rochas no meio do nada, em plena montanha... E não são cartazes quaisquer: fiéis ao carácter "colorido" que sempre achamos indissociável do carácter latino-americano, as mensagens eleitorais são também elas coloridas (enfim, para os nossos padrões), onde em vez de símbolos partidários se escolhem outros mais simples e facilmente memorizáveis por uma população regra geral pouco instruída. Assim, em vez de rosas, punhos, setas fálicas, os partidos e candidatos peruanos identificam-se com um cavalo, uma vassoura (para varrer a corrupção suponho), um tacho (símbolo latino-americano de contestação - os célebres cacerolazos - será talvez o equivalente peruano do BE), uma espiga de milho, uma batata, um lama... Enfim, o único limite parece ser a imaginação dos políticos peruanos. Vejam estas pérolas, que nem sequer são os exemplares mais requintados:


(aqui: candidato promete varrer a corrupção)



(comício em Puno, pequena cidade nas margens do Lago Titikaka - e não "Titicaca", parece que "caca" em espanhol quer dizer o mesmo que em português; o facto de se desenrolar em frente a uma igreja não é coincidência: a mistura entre política e religião, pelo menos para efeitos de campanha, é total, e tudo vale para ganhar votos, incluindo invocar a Nossa Senhora disto e daquilo, conforme a terrinha em que se esteja)


               
(o "candidato do cavalo")                                                       (o "candidato do tacho")



(o candidato MAS/mais; socialismo à moda andina)



("o povo unido jamais será vencido"; também é mote de campanha no Peru...)


Também me cruzei várias vezes, e nos sítios mais inesperados, numa pequena ilha - mil e tal habitantes - do lago Titikaka, por exemplo, com "arruadas", que no contexto local são mais "apedradas" (ou seja, andar pelo meio das pedras), porque ruas fora das grandes cidades não há, e se houver caminhos de pedras já é muito bom...
Para concluir, tornou-se-me óbvio que o populismo grassa no Peru, à direita, à esquerda, em todo o espectro político, fiel também ele áquilo que conotamos com a política daquela região, sempre reféns de líderes populistas, ora de esquerda, ora de direita.
Seja como for, o tempo das ditaduras parece afastar-se, e a democracia, pelo menos no Peru, e tendo em conta o nível cultural geral do país, está razoavelmente madura. Uma democracia sui generis, claro, e que teve ao menos a virtude de me fazer e aos amigos com quem viajei algumas gargalhadas bem humoradas. Sic transit gloria peruani...
:
Abraracourcix o chefe falou sobre: ,
um discurso de Abraracourcix às 10:53
link do discurso | comentar - que alegre boa ideia!


Neste blog é permitido fumar





Be an Ocean Defender

Os melhores javalis


O chefe viu:
   "Nightwatchers", Peter Greenaway

  

 

   "The Happening", M. Night Shyamalan

  

 

   "Blade Runner" (final cut), Ridley Scott

  


O chefe está a ler:
   "Entre os Dois Palácios", Naguib Mahfouz

O chefe tem ouvido:
   Clap Your Hands Say Yeah, Some Loud Thunder

   Radiohead, In Rainbows
 

por toutatis! que o céu não nos caia em cima da cabeça...

As odisseias de Abraracourcix



create your own visited countries map

Abraracourcix o chefe falou sobre

11 de setembro(18)

aborto(28)

admirável mundo novo(5)

aeroporto(3)

afeganistão(1)

alemanha(1)

altermundo(9)

ambiente(14)

amnistia(1)

austrália(1)

birmânia(1)

brasil(1)

camarate(1)

cambodja(1)

cartoons(31)

chile(4)

china(4)

cinema(15)

coreia do norte(4)

cuba(1)

cultura(29)

dakar(1)

democracia(10)

desporto(29)

economia(13)

educação(2)

egipto(1)

espanha(3)

frança(8)

futebol(4)

gaulesa aldeia(20)

h2homo(7)

holanda(4)

hungria(1)

igreja(6)

imigração(3)

incêndios(2)

índia(1)

indonésia(1)

internacional(151)

irão(7)

iraque(18)

irredutíveis gauleses(16)

japão(1)

kosovo(1)

laos(1)

líbano(16)

lisboa(1)

literatura(3)

madeira(2)

mauritânia(1)

media(8)

méxico(1)

música(7)

nacional(102)

nuclear(7)

odisseias(4)

palestina(4)

paquistão(1)

peru(3)

política(13)

polónia(2)

porto(1)

prémios(13)

reino unido(1)

religião(7)

rússia(6)

saúde(13)

síria(1)

sociedade(37)

sócrates(4)

somália(5)

srebrenica(5)

sudão(1)

tailândia(2)

tchetchénia(2)

tibete(5)

timor(2)

todas as estrelas do céu(26)

turquemenistão(1)

turquia(4)

ue(10)

uk(6)

ulster(2)

usa(21)

videos(6)

vietname(1)

zimbabwe(2)

todas as tags

procurar nos discursos

 

discursos recentes

Abraracourcix e a sua ald...

O fim do petróleo - cenár...

Não às detenções secretas

Razões antropológicas par...

Altermundo reaberto

Vive la France

Bem vindos ao Turquemenis...

Break my arms...

Editors

O PCP e o Tibete: a minha...

O PCP e o Tibete: respost...

Mais um pouco de luz para...

Luz ao fundo do túnel par...

Mail por mim enviado ao P...

Eleitoralismo precoce

discursos antigos

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Janeiro 2005

Outubro 2004

Setembro 2004

habitantes: