Terça-feira, 19 de Dezembro de 2006

O espectro da guerra civil na Palestina: uma guerra por procuração

De súbito, algo que durante muito tempo não julguei possível parece perigosamente perto. Até há pouco, sempre me convenci que o espírito de unidade existente entre os palestinianos (um sentido de comunidade que é tão próprio dos árabes), uma umma que sempre vi como especialmente forte, seria o suficiente para que as sempre efervescentes relações entre as díspares facções palestinianas deslizassem para a guerra civil.
Agora, receio que esse conflito, sempre tão perto e ao mesmo tempo tão longe - sempre afastado pela umma palestiniana - esteja a ponto de rebentar. Ontem, ao ler o Público, percebi finalmente porquê... a resposta estava de resto já lá há algum tempo.

"Analistas afirmam que os combates podem ser vistos como uma guerra por procuração entre os Estados Unidos, que estão a tentar formar a guarda presidencial de Abbas, e o Irão, que apoia o Hamas. (...)
Altos responsáveis israelitas adiantam que a decisão tomada na semana passada de impedir o primeiro-ministro do Hamas, Ismail Haniyeh, de fazer entrar 35 milhões de dólares em Gaza se deveu em parte às preocupações de que esse dinheiro fosse destinado à força executiva [força armada do Hamas], o que o Hamas nega.
Washington quer canalizar fundos para a guarda presidencial de Abbas. A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, afirmou na semana passada que a Administração irá fornecer dezenas de milhar de dólares às forças de Abbas, esperando apenas uma aprovação do Congresso. Com a ajuda de Washington, a guarda presidencial de Abbas atingiu os quase 4 mil membros. (...)
O Hamas expandiu rapidamente a sua força para os 6 mil membros e promete acrescentar-lhe combatentes no futuro. Isto, não incluindo os milhares que lutam sobre o seu braço armado. (...) Desde que subiu ao poder, o Hamas fez entrar pelo menos 80 milhões de dólares em Gaza através da travessia em Rafah, dizem diplomatas e observadores. Mobilizada primeiro pelo governo Hamas nas ruas de Gaza em Maio, a força executiva é constituída maioritariamente por membros das Brigadas e inclui membros de facções aliadas de activistas. Mas o Hamas não revela onde é que as forças executivas vão buscar dinheiro, armas e equipamento." [mas isso é elementar... ao Irão, claro, onde mais?]

Surpreende-me de qualquer forma a ousadia iraniana: exímio jogador de xadrez - ao que julgo originário daquela região - acredita nos seus dotes xadrezísticos a tal ponto que, face ao impasse no tabuleiro libanês e ao paulatino desenvolvimento do tabuleiro iraquiano, não hesita em levar a cabo um exercício de "simultâneas". Para os não versados em linguagem xadrezística, estas ocorrem quando um jogador, normalmente de capacidade muito superior aos oponentes, joga ao mesmo tempo vários jogos de xadrez com adversários diferentes.
Teerão parece acreditar que as suas capacidades são de facto muito superiores - o que talvez seja verdade, ou pelo menos nisso o fizeram acreditar os disparatados lances que o mais perigoso adversário, os Estados Unidos, fez anteriormente.
Atento observador da geopolítica da região - e impotente para ser mais do que observador atento - o rei Abdullah II da Jordânia já tinha alertado para a iminência destas "simultâneas", tendencialmente conducentes a três guerras civis, e ao enorme perigo que todas elas representam. Elas parecem hoje mais perto que nunca...
:
Abraracourcix o chefe falou sobre: , ,
um discurso de Abraracourcix às 10:46
link do discurso | comentar - que alegre boa ideia!
2 comentários:
De Hopes a 19 de Dezembro de 2006 às 12:21
De facto, é muito preocupante...
Mais uma consequência da política neo-con da administração Bush para o Médio-Oriente. Algo me diz que o ano de 2007, será bastante tumultuoso!
De Abraracourcix a 19 de Dezembro de 2006 às 14:22
A minha metáfora do xadrez era isso que queria dizer: o Irão avaliou muito bem o que estava em jogo, os Estados Unidos não conseguem ver 2 jogadas à frente, tal qual um mau jogador de xadrez...
2007 promete ser do mais tumultuoso que já vimos... E não só no Médio Oriente, temos a Coreia, a Turquia, a Rússia... já para não falar em novos perigos como a Somália por exemplo... e velhos como a falsamente adormecida Al Qaeda...

comentar - começar zaragata



Neste blog é permitido fumar





Be an Ocean Defender

Os melhores javalis


O chefe viu:
   "Nightwatchers", Peter Greenaway

  

 

   "The Happening", M. Night Shyamalan

  

 

   "Blade Runner" (final cut), Ridley Scott

  


O chefe está a ler:
   "Entre os Dois Palácios", Naguib Mahfouz

O chefe tem ouvido:
   Clap Your Hands Say Yeah, Some Loud Thunder

   Radiohead, In Rainbows
 

por toutatis! que o céu não nos caia em cima da cabeça...

As odisseias de Abraracourcix



create your own visited countries map

Abraracourcix o chefe falou sobre

11 de setembro(18)

aborto(28)

admirável mundo novo(5)

aeroporto(3)

afeganistão(1)

alemanha(1)

altermundo(9)

ambiente(14)

amnistia(1)

austrália(1)

birmânia(1)

brasil(1)

camarate(1)

cambodja(1)

cartoons(31)

chile(4)

china(4)

cinema(15)

coreia do norte(4)

cuba(1)

cultura(29)

dakar(1)

democracia(10)

desporto(29)

economia(13)

educação(2)

egipto(1)

espanha(3)

frança(8)

futebol(4)

gaulesa aldeia(20)

h2homo(7)

holanda(4)

hungria(1)

igreja(6)

imigração(3)

incêndios(2)

índia(1)

indonésia(1)

internacional(151)

irão(7)

iraque(18)

irredutíveis gauleses(16)

japão(1)

kosovo(1)

laos(1)

líbano(16)

lisboa(1)

literatura(3)

madeira(2)

mauritânia(1)

media(8)

méxico(1)

música(7)

nacional(102)

nuclear(7)

odisseias(4)

palestina(4)

paquistão(1)

peru(3)

política(13)

polónia(2)

porto(1)

prémios(13)

reino unido(1)

religião(7)

rússia(6)

saúde(13)

síria(1)

sociedade(37)

sócrates(4)

somália(5)

srebrenica(5)

sudão(1)

tailândia(2)

tchetchénia(2)

tibete(5)

timor(2)

todas as estrelas do céu(26)

turquemenistão(1)

turquia(4)

ue(10)

uk(6)

ulster(2)

usa(21)

videos(6)

vietname(1)

zimbabwe(2)

todas as tags

procurar nos discursos

 

discursos recentes

Abraracourcix e a sua ald...

O fim do petróleo - cenár...

Não às detenções secretas

Razões antropológicas par...

Altermundo reaberto

Vive la France

Bem vindos ao Turquemenis...

Break my arms...

Editors

O PCP e o Tibete: a minha...

O PCP e o Tibete: respost...

Mais um pouco de luz para...

Luz ao fundo do túnel par...

Mail por mim enviado ao P...

Eleitoralismo precoce

discursos antigos

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Janeiro 2005

Outubro 2004

Setembro 2004

habitantes: