Terça-feira, 2 de Janeiro de 2007

Execução de Saddam: a barbárie passou na televisão

Da condenação à morte de Saddam Hussein já aqui tinha falado, aqui e sobretudo aqui. Da confirmação de tal pena também falei aqui.
Agora, executada tal sentença, levada a cabo, acrescento, da forma mais vergonhosa e indigna possível, em quase total segredo, pelo meios de vivas a Moqtada al-Sadr (ficámos assim a saber quem manobrou clandestinamente para apressar a execução, e quem verdadeiramente a levou a cabo), escrevo de novo. Não sobre a sentença em si, a qual já condenei veementemente e que para além de atentar contra os Direitos Humanos é absolutamente inútil no actual estado do Iraque e visa exclusivamente um único fim, a vingança, mas escrevo sobre as imagens que nos chegaram da execução.
As imagens "oficiais", as que de imediato chegaram às nossas televisões, eram na medida do possível sóbrias, percebendo-se que visavam unicamente servir de prova da morte do ex-ditador.
Dias depois, chegam-nos imagens "clandestinas", filmadas com telemóvel, em que se percebe melhor o ambiente carregado, indigno, sujo, em que decorreu a execução: insultos, vivas ao "senhor da guerrilha" Moqtada al-Sadr e a Alá... tremi ao ver as imagens na RTP1, mas gostei dos graves avisos de José Alberto Carvalho quanto à violência das imagens - mais psicológica que outra coisa, pois apenas algumas partes foram passadas, numa correcta e quanto a mim óbvia decisão editorial.
Distraidamente, fiz um pouco de zapping para confirmar se a mesma notícia merecia também honras de abertura nos restantes noticiários nacionais. Ao chegar à TVI, estarreci: imagens não editadas, mostrando absolutamente TODOS os pormenores da execução - e até eu, raríssimas vezes impressionável, fiquei enojado.
Enviei de imediato SMS a alguns amigos a dar conta deste nojo, e apelando a um boicote à TVI (o que já ocorre em princípio por definição, dado o nível de qualidade das suas notícias e do resto da programação) e ao envio de cartas de protesto para a TVI.
Agora, alargo este apelo aos dois ou três interessados leitores do Altermundo para que o façam também.
Não tenho mais palavras para descrever o que a TVI fez poucas horas antes da passagem de ano, aliás numa altura em que imensas crianças estariam a ver a TVI (não sei que explicações poderia dar a um filho meu que visse tais imagens... o que dizer? como explicar o inexplicável?), mas também penso que não são necessárias palavras, apenas o nojo, nojo, nojo..
:
Abraracourcix o chefe falou sobre: , , ,
um discurso de Abraracourcix às 09:52
link do discurso | comentar - que alegre boa ideia!
2 comentários:
De Hopes a 2 de Janeiro de 2007 às 12:32
Ainda bem que chamas a atenção para esta vergonha, confesso que me tinha passado ao lado porque não vi o jornal da TVI. Aliás, o vídeo da execução circula pela net, ao alcance de um clique. É muito animador ver a dignidade e a ética, com que a humanidade recebe o novo ano... Concordo inteiramente contigo: nojo!!
De Abraracourcix a 2 de Janeiro de 2007 às 14:12
Concordo contigo, claro, as imagens mais não são que o espelho da nossa indignidade e falta de ética (agravadas pelas suponho que milhões de visitas às mesmas) mas mesmo assim é diferente ver um video na net (onde se pressupõe que se tenha procurado), portanto por vontade própria, do que vê-lo imposto a nós - e aos que são mais vulneráveis, as crianças por exemplo - num programa de elevadíssima audiência, onde não há escapatória possível.
As televisões, face às exigências noticiosas, teriam que passar as imagens, mas fazê-lo como fez a TVI é mais abjecto que o mais podre dos nojos.

comentar - começar zaragata



Neste blog é permitido fumar





Be an Ocean Defender

Os melhores javalis


O chefe viu:
   "Nightwatchers", Peter Greenaway

  

 

   "The Happening", M. Night Shyamalan

  

 

   "Blade Runner" (final cut), Ridley Scott

  


O chefe está a ler:
   "Entre os Dois Palácios", Naguib Mahfouz

O chefe tem ouvido:
   Clap Your Hands Say Yeah, Some Loud Thunder

   Radiohead, In Rainbows
 

por toutatis! que o céu não nos caia em cima da cabeça...

As odisseias de Abraracourcix



create your own visited countries map

Abraracourcix o chefe falou sobre

11 de setembro(18)

aborto(28)

admirável mundo novo(5)

aeroporto(3)

afeganistão(1)

alemanha(1)

altermundo(9)

ambiente(14)

amnistia(1)

austrália(1)

birmânia(1)

brasil(1)

camarate(1)

cambodja(1)

cartoons(31)

chile(4)

china(4)

cinema(15)

coreia do norte(4)

cuba(1)

cultura(29)

dakar(1)

democracia(10)

desporto(29)

economia(13)

educação(2)

egipto(1)

espanha(3)

frança(8)

futebol(4)

gaulesa aldeia(20)

h2homo(7)

holanda(4)

hungria(1)

igreja(6)

imigração(3)

incêndios(2)

índia(1)

indonésia(1)

internacional(151)

irão(7)

iraque(18)

irredutíveis gauleses(16)

japão(1)

kosovo(1)

laos(1)

líbano(16)

lisboa(1)

literatura(3)

madeira(2)

mauritânia(1)

media(8)

méxico(1)

música(7)

nacional(102)

nuclear(7)

odisseias(4)

palestina(4)

paquistão(1)

peru(3)

política(13)

polónia(2)

porto(1)

prémios(13)

reino unido(1)

religião(7)

rússia(6)

saúde(13)

síria(1)

sociedade(37)

sócrates(4)

somália(5)

srebrenica(5)

sudão(1)

tailândia(2)

tchetchénia(2)

tibete(5)

timor(2)

todas as estrelas do céu(26)

turquemenistão(1)

turquia(4)

ue(10)

uk(6)

ulster(2)

usa(21)

videos(6)

vietname(1)

zimbabwe(2)

todas as tags

procurar nos discursos

 

discursos recentes

Abraracourcix e a sua ald...

O fim do petróleo - cenár...

Não às detenções secretas

Razões antropológicas par...

Altermundo reaberto

Vive la France

Bem vindos ao Turquemenis...

Break my arms...

Editors

O PCP e o Tibete: a minha...

O PCP e o Tibete: respost...

Mais um pouco de luz para...

Luz ao fundo do túnel par...

Mail por mim enviado ao P...

Eleitoralismo precoce

discursos antigos

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Janeiro 2005

Outubro 2004

Setembro 2004

habitantes: