Quinta-feira, 26 de Abril de 2007

Guernica: o dia mais negro do século XX foi há 70 anos



Gernika, 26 de Abril de 1937:  "às quatro e meia da tarde (...) a silhueta solitária de um avião de combate alemão surge sobre os céus".
A citação é do artigo do DN de hoje, aludindo à negra efeméride. Novamente o DN, explicando a especial importância deste dia: "o principal legado do tipo de bombardeamento maciço que o ataque a Guernica prefigura será, mais tarde, a sua generalização durante a II Guerra Mundial, com devastadora eficiência, sobre alvos europeus e alemães, de que a acção anglo-americana sobre Dresden, em Fevereiro de 1945, é o exemplo máximo."

Para mim, e simbolicamente, foi o mais negro dia do séc. XX, símbolo de tudo o que o motivou, de tudo o que causou, na Guerra Civil Espanhola como na II Guerra Mundial, símbolo de todos os indizíveis horrores que se seguiram. O mural de Picasso é, por isso, desde sempre, o meu quadro preferido.

Para quem queira ler um pouco mais, aqui estão os links para os artigos da wikipedia sobre o bombardeamento em inglês e espanhol, ambos com links para outras leituras.

Aconselho sobretudo o artigo de George Steer para o The Times, o primeiro jornalista a relatar o bombardemento. Excertos mais marcantes:


"BILBAO, April 27 1937


"Guernica, the most ancient town of the Basques and the centre of their cultural tradition, was completely destroyed yesterday afternoon by insurgent air raiders. The bombardment of this open town far behind the lines occupied precisely three hours and a quarter, during which a powerful fleet of aeroplanes consisting of three German types, Junkers and Heinkel bombers and Heinkel fighters, did not cease unloading on the town bombs weighing from 1,000lb. downwards and, it is calculated, more than 3,000 two-pounder aluminium incendiary projectiles. The fighters, meanwhile, plunged low from above the centre of the town to machine- gun those of the civilian population who had taken refuge in. the fields.

The whole of Guernica was soon in flames except the historic Casa de Jontas with its rich archives of the Basque race, where the ancient Basque Parliament used to sit. The famous oak of Guernica, the dried old stump of 600 years and the young new shoots of this century, was also untouched. (...)
At 2 am today when I visited the town the whole of it was a horrible sight, flaming from end to end. The reflection of the flames could be seen in the clouds of smoke above the mountains from 10 miles away. Throughout the night houses were falling until the streets became long heaps of red impenetrable debris."
:
Abraracourcix o chefe falou sobre:
um discurso de Abraracourcix às 19:39
link do discurso | comentar - que alegre boa ideia!
3 comentários:
De Hopes a 30 de Abril de 2007 às 21:49
Esse quadro do Picasso, também é dos meus preferidos.
Todos os elementos do quadro transpiram a dor e o sofrimento que se viveu em Guernica. É impressionante!
De bianca castafiore a 1 de Maio de 2007 às 18:34
É realmente uma obra-prima. Eu que nem gosto do cubismo, olho para este quadro como a excepção: pela inteligência do horror, pela perfeição dos símbolos, pelo sofrimento exposto, pela eficácia e a intenção.
De Pedro Fontela a 2 de Maio de 2007 às 21:48
Não sou grande fã do picasso (heresia das heresias...) mas qualquer pessoa tem que reconhecer que a guerra civil espanhola foi o laboratório dos regimes fascistas (com a cumplicidade dos "aliados").

comentar - começar zaragata



Neste blog é permitido fumar





Be an Ocean Defender

Os melhores javalis


O chefe viu:
   "Nightwatchers", Peter Greenaway

  

 

   "The Happening", M. Night Shyamalan

  

 

   "Blade Runner" (final cut), Ridley Scott

  


O chefe está a ler:
   "Entre os Dois Palácios", Naguib Mahfouz

O chefe tem ouvido:
   Clap Your Hands Say Yeah, Some Loud Thunder

   Radiohead, In Rainbows
 

por toutatis! que o céu não nos caia em cima da cabeça...

As odisseias de Abraracourcix



create your own visited countries map

Abraracourcix o chefe falou sobre

11 de setembro(18)

aborto(28)

admirável mundo novo(5)

aeroporto(3)

afeganistão(1)

alemanha(1)

altermundo(9)

ambiente(14)

amnistia(1)

austrália(1)

birmânia(1)

brasil(1)

camarate(1)

cambodja(1)

cartoons(31)

chile(4)

china(4)

cinema(15)

coreia do norte(4)

cuba(1)

cultura(29)

dakar(1)

democracia(10)

desporto(29)

economia(13)

educação(2)

egipto(1)

espanha(3)

frança(8)

futebol(4)

gaulesa aldeia(20)

h2homo(7)

holanda(4)

hungria(1)

igreja(6)

imigração(3)

incêndios(2)

índia(1)

indonésia(1)

internacional(151)

irão(7)

iraque(18)

irredutíveis gauleses(16)

japão(1)

kosovo(1)

laos(1)

líbano(16)

lisboa(1)

literatura(3)

madeira(2)

mauritânia(1)

media(8)

méxico(1)

música(7)

nacional(102)

nuclear(7)

odisseias(4)

palestina(4)

paquistão(1)

peru(3)

política(13)

polónia(2)

porto(1)

prémios(13)

reino unido(1)

religião(7)

rússia(6)

saúde(13)

síria(1)

sociedade(37)

sócrates(4)

somália(5)

srebrenica(5)

sudão(1)

tailândia(2)

tchetchénia(2)

tibete(5)

timor(2)

todas as estrelas do céu(26)

turquemenistão(1)

turquia(4)

ue(10)

uk(6)

ulster(2)

usa(21)

videos(6)

vietname(1)

zimbabwe(2)

todas as tags

procurar nos discursos

 

discursos recentes

Abraracourcix e a sua ald...

O fim do petróleo - cenár...

Não às detenções secretas

Razões antropológicas par...

Altermundo reaberto

Vive la France

Bem vindos ao Turquemenis...

Break my arms...

Editors

O PCP e o Tibete: a minha...

O PCP e o Tibete: respost...

Mais um pouco de luz para...

Luz ao fundo do túnel par...

Mail por mim enviado ao P...

Eleitoralismo precoce

discursos antigos

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Janeiro 2005

Outubro 2004

Setembro 2004

habitantes: