Sábado, 5 de Janeiro de 2008

Lisboa-Dakar anulado: o desporto está mais triste, a Al Qaeda mais feliz

O pior, e de alguma forma inesperado mesmo sob as ameaças que pairavam, aconteceu mesmo: o Lisboa-Dakar deste ano foi anulado, depois do atentado terrorista que vitimou quatro turistas franceses na Mauritânia a semana passada, dos avisos do Governo francês quanto à falta de segurança nesse país e das ameaças directas da Al Qaeda - cujo braço argelino é o presumível autor do atentado - sobre a prova.
É compreensível a decisão da organização de não organizar o mítico rally este ano. Não deixa, no entanto, de ser muito triste, sobretudo pelo trunfo que confere ao terrorismo magrebino e à Al Qaeda em geral, que a partir de agora tem razões reforçadas para cometer atentados deste género, provado que está que têm efeitos produtivos.
Este efeito de tristeza é duplo, pois para além da vitória terrorista soma-se o próprio desaparecimento, espera-se que irrepetível, da prova.
Para mim, que cresci com a certeza de ver a cada início de ano os resumos da prova (já que, até ao ano passado, quando cumpri um sonho de criança, a minha presença pessoal foi impossível), para mim que aprendi a sonhar com o deserto ao ver as imagens televisivas do Paris-Dakar a cada ano, este cancelamento tornará os meus próximos dias mais cinzentos.



:
Abraracourcix o chefe falou sobre: , , , ,
um discurso de Abraracourcix às 11:30
link do discurso | comentar - que alegre boa ideia!
5 comentários:
De Macambuzia Jubilosa a 5 de Janeiro de 2008 às 16:03
Caro Chefe,

Percebo o fascínio pelo Paris Dakar, eu tb já o tive, pois tb cresci com ele.

No entanto, fui tendo uma opinião mais critica em relação ao mesmo.

Há um impacto ambiental a ter em conta e cada vez me parece mais uma coisa colonianista ou do genero safari. Em que uns europeus endinheirados se divertem a ir para africa , esse lindo continente, fazer piões...

Enfim, posso estar a ser injusta, mas não tenho conhecimento de uma vertente mais humanista e útil deste evento. Ou seja, é um desporto, pois sim, mas será que acarreta benefícios para esses países? ou estes têm apenas uma atitude passiva de recepção ( é certo que os países autorizam), em que os indígenas olham para aquilo com surpresa e os seus olhares surpreendidos ficam sempre bem na tv ? para alem de destruir algumas paisagens naturais e poluir? Enfim...poderá de facto, promover a divulgação dos países... o crescimento económico?... o turismo???

Não me parece por acaso que a França se desvinculou do evento...

Trata-se de um estrutura cada vez maior, com grandes impactos ambientais, isso é certo. No entanto, as imagens são bonitas...

Ou seja, talvez a Europa (e o resto do mundo) tenha de ter uma outra atitude para poder ter legitimidade para ir para África, experimentar as suas grandes máquinas e as suas performances desportivas nas dunas africanas.

Mais do que ninguém defendo a interacção entre os países e os continentes, mas para isso tem que haver alguma unilateralidade e igualdade

Aliás, propunha que o dinheiro que se gasta com a organização deste evento fosse canalizada para ajuda humanitária ou criação de infraestruturas básicas em África...mas enfim.. isto já são os meus fundamentalismos e "ingenuidades"...

E tudo isto à parte e independentemente da questão do terrorismo.

Ou não...




De Abraracourcix a 7 de Janeiro de 2008 às 11:22
Obrigado pelo comentário, cara gaulesa!
De facto a ideia geral do post era a vitória moral do terrorismo sobre o Dakar, temperada por uma nota pessoal...
Mas vou responder aos pontos que levantaste, e com os quais não posso deixar de ter alguma simpatia, sobretudo quanto ao impacto ambiental: reconheço que a influência de Al Gores e outros que tais sobre os media já me formatou a mente de tal forma que às vezes até me custa acelerar um pouco o meu próprio carro. Uma prova como o Lisboa-Dakar tem como é óbvio um impacto altíssimo, sobretudo tratando-se de um evento que pode ser caracterizado como "fútil" (trata-se de mero entretenimento, nesta perspectiva).
No entanto, compreendendo o que queres dizer, não consigo ver o rally como um evento colonialista. Se reparares nas imagens que passam todos os anos na TV das populações locais, eles não têm os olhares abertos de surpresa, bem pelo contrário: sabem perfeitamente do que se trata e acolhem-no em grande festa, pela tradição de hospitalidade, pelo orgulho de mostrar a sua terra e, claro, pelo influxo económico trazido por centenas de ocidentais...
Aliás, estou persuadido de que o Dakar contribui para o acentuar, na sua forma positiva de contacto e mistura de culturas, para a globalização. Como te disse, os locais estão bem informados sobre o que é o Dakar, porque hoje em dia o mito do "bom selvagem" a que tu aludes já não existe, nem naquela região nem provavelmente em lugar nenhum do mundo. Há uns anos fui a Marrocos e como não podia deixar de ser fiz uma mini-expedição ao deserto, onde contactei com um berbere que em 30 e tal anos de vida nunca tinha saído daquele pedaço de deserto. Náo sabia sequer o que era uma cidade, nada. Isso não o impedia no entanto de ter uma mente aberta e curiosa e de saber falar um pouco de não sei quantas línguas, que pedia aos turistas que lhe ensinassem. Falou-nos com conhecimento de causa dos vários filmes que tinham sido filmados e que estavam a ser rodados por aquelas bandas. Falou-nos de um motard japonês de que tinha ficado amigo e que tinha ajudado a não se perder numa edição anterior do Dakar. Por isso te digo, amiga gaulesa, que os "locais" são muito menos inocentes e muito mais informados do que pensas.
É claro que podermos - e devemos - ter outra atitude em relação a África quanto a ajudas ao desenvolvimento. O Dakar contribui um pouco para isso, pois ajuda a montar infra-estruturas em locais onde passa quase todos os anos, já para não falar no dinheiro que permite aos locais ganhar. Claro que deviam fazer muito mais... o Dakar, e todo o Ocidente, claro está.
E como tu intuis no final do comentário, tudo isto do desenvolvimento não é nada independente do terrorismo...
De bianca castafiore a 13 de Janeiro de 2008 às 19:57
Abraracourcix , Chefe Admirável, gostei do teu comentário. Também acho que os habitantes dos sítios por onde passa o rallye gostam de assistir e lucram com ele.
Quanto à vitória do terrorismo... pois!... é por isso mesmo que se chama TERRORISMO, não?... :(
De Macambuzia a 14 de Janeiro de 2008 às 23:31
Bem... se os habitantes lucram ou não sei. Aliás, certezas não tenho nenhumas.

Apenas esta: quem não lucra de certeza é o ambiente...
De Macambuzia a 19 de Janeiro de 2008 às 15:03
Acabei de ver este vídeo e lembrei-me de o por aqui...

RAP no seu melhor...

http://videos.sapo.pt/BfKhMzBzdDUhmhMomgF0

ehehehehe

comentar - começar zaragata



Neste blog é permitido fumar





Be an Ocean Defender

Os melhores javalis


O chefe viu:
   "Nightwatchers", Peter Greenaway

  

 

   "The Happening", M. Night Shyamalan

  

 

   "Blade Runner" (final cut), Ridley Scott

  


O chefe está a ler:
   "Entre os Dois Palácios", Naguib Mahfouz

O chefe tem ouvido:
   Clap Your Hands Say Yeah, Some Loud Thunder

   Radiohead, In Rainbows
 

por toutatis! que o céu não nos caia em cima da cabeça...

As odisseias de Abraracourcix



create your own visited countries map

Abraracourcix o chefe falou sobre

11 de setembro(18)

aborto(28)

admirável mundo novo(5)

aeroporto(3)

afeganistão(1)

alemanha(1)

altermundo(9)

ambiente(14)

amnistia(1)

austrália(1)

birmânia(1)

brasil(1)

camarate(1)

cambodja(1)

cartoons(31)

chile(4)

china(4)

cinema(15)

coreia do norte(4)

cuba(1)

cultura(29)

dakar(1)

democracia(10)

desporto(29)

economia(13)

educação(2)

egipto(1)

espanha(3)

frança(8)

futebol(4)

gaulesa aldeia(20)

h2homo(7)

holanda(4)

hungria(1)

igreja(6)

imigração(3)

incêndios(2)

índia(1)

indonésia(1)

internacional(151)

irão(7)

iraque(18)

irredutíveis gauleses(16)

japão(1)

kosovo(1)

laos(1)

líbano(16)

lisboa(1)

literatura(3)

madeira(2)

mauritânia(1)

media(8)

méxico(1)

música(7)

nacional(102)

nuclear(7)

odisseias(4)

palestina(4)

paquistão(1)

peru(3)

política(13)

polónia(2)

porto(1)

prémios(13)

reino unido(1)

religião(7)

rússia(6)

saúde(13)

síria(1)

sociedade(37)

sócrates(4)

somália(5)

srebrenica(5)

sudão(1)

tailândia(2)

tchetchénia(2)

tibete(5)

timor(2)

todas as estrelas do céu(26)

turquemenistão(1)

turquia(4)

ue(10)

uk(6)

ulster(2)

usa(21)

videos(6)

vietname(1)

zimbabwe(2)

todas as tags

procurar nos discursos

 

discursos recentes

Abraracourcix e a sua ald...

O fim do petróleo - cenár...

Não às detenções secretas

Razões antropológicas par...

Altermundo reaberto

Vive la France

Bem vindos ao Turquemenis...

Break my arms...

Editors

O PCP e o Tibete: a minha...

O PCP e o Tibete: respost...

Mais um pouco de luz para...

Luz ao fundo do túnel par...

Mail por mim enviado ao P...

Eleitoralismo precoce

discursos antigos

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Janeiro 2005

Outubro 2004

Setembro 2004

habitantes: