Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2007

Eleições presidenciais nos Estados Unidos e em França: os meus cavalos de corrida

Com maior - caso dos Estados Unidos, onde a corrida presidencial é uma verdadeira maratona - ou menor antecipação - caso de França, vão-se preparando junto aos blocos de partida as figuras presidenciáveis. Esta é uma altura em que começo a ler com alguma atenção os perfis dessas figuras e a formar a minha opinião sobre quem gostaria que ganhasse - os meus "cavalos de corrida", em suma.
Esta leitura é particularmente importante em França, onde um (ou uma!) novo presidente está à curta distância de três meses. Este é também, das duas corridas em causa, a que me faz arrancar mais cabelos. Na corrida ao Eliseu, já há dois e apenas dois candidatos mais que assumidos.
Os dois são a meu ver péssimas figuras, movidos unicamente pela sua ambição de vir a ocupar a actual cadeira do igualmente péssimo Chirac, e se tivesse de escolher um dos dois teria sérios incentivos a juntar-me ao grupo do armadilhador Pedro Silva e a não votar... a fazê-lo, seria provavelmente um voto em branco; mas se tivesse mesmo de escolher um dos dois, com o coração pesado e enegrecido pela decisão, ela seria a favor de Mme. Ségolène "pudim" Royal... por um motivo simples: entre um péssimo candidato de esquerda e um péssimo candidato de direita, preferiria sempre o primeiro.
Neste caso, entre uma péssima candidata-maquiavel de pacotilha que só afirma ser de esquerda porque precisa do voto desta, e um péssimo candidato, Nicolas "Terminator" Sarkozy, que diz que é de direita mas que se comporta - e é de facto - como sendo de ultra-direito, colado ao odioso Le Pen, entre estes dois, seria o exílio... senão, o centro-direita é apesar de tudo um mal menor em relação à quase extrema-direita...
Mudando de caso e de continente, o caso americano é inteiramente diferente, sobretudo pela distância de quase dois anos que nos separa das eleições presidenciais, já com data marcada (ocorrem sempre na primeira terça-feira de Novembro, o que tem a curiosa coincidência de por vezes as fazer coincidir com o meu aniversário, coincidência que já me rendeu, em 2000, o mais odioso dos presentes...) para 4 de Novembro de 2008. Neste caso reservo-me o direito de mudar de "cavalo de corrida", até pela evolução que as posições dos vários candidatos, movidos pela sua ambição, vão sofrendo...
Para já, e como parafraseando um qualquer western, para mim o único republicano bom é o republicano morto (o mesmo se aplicando aos candidatos presidenciais), a minha aposta no campo democrata vai para Barack Obama, pelo "sangue novo" que representaria na políttica da Casa Branca - é senador há apenas dois anos, mas já empolga multidões sempre que discursa - pelas posições razoavelmente genuínas de democrata e pela pedrada no charco de ver um representante de uma minoria étnica governar um dois países desenvolvidos mais desiguais...
Claro que Hillary Clinton também beneficia desse efeito "pedrada no charco", mas contra ela move-me o que me parece excessivo calculismo político, o que para mim é prenúncio de ambição (demasiado) desmesurada...
Ficam então as minhas escolhas: Barack Obama para Mr. President e o exílio... perdão, Mme. "Pudim Royal" (que todos os deuses nos acudam!...) para Mme. Président.
:
Abraracourcix o chefe falou sobre: , ,
um discurso de Abraracourcix às 14:10
link do discurso
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


Os melhores javalis


O chefe viu:
   "Nightwatchers", Peter Greenaway

  

 

   "The Happening", M. Night Shyamalan

  

 

   "Blade Runner" (final cut), Ridley Scott

  


O chefe está a ler:
   "Entre os Dois Palácios", Naguib Mahfouz

O chefe tem ouvido:
   Clap Your Hands Say Yeah, Some Loud Thunder

   Radiohead, In Rainbows
 

por toutatis! que o céu não nos caia em cima da cabeça...

Abraracourcix o chefe falou sobre

11 de setembro(18)

aborto(28)

admirável mundo novo(5)

aeroporto(3)

afeganistão(1)

alemanha(1)

altermundo(9)

ambiente(14)

amnistia(1)

austrália(1)

birmânia(1)

brasil(1)

camarate(1)

cambodja(1)

cartoons(31)

chile(4)

china(4)

cinema(15)

coreia do norte(4)

cuba(1)

cultura(29)

dakar(1)

democracia(10)

desporto(29)

economia(13)

educação(2)

egipto(1)

espanha(3)

frança(8)

futebol(4)

gaulesa aldeia(20)

h2homo(7)

holanda(4)

hungria(1)

igreja(6)

imigração(3)

incêndios(2)

índia(1)

indonésia(1)

internacional(151)

irão(7)

iraque(18)

irredutíveis gauleses(16)

japão(1)

kosovo(1)

laos(1)

líbano(16)

lisboa(1)

literatura(3)

madeira(2)

mauritânia(1)

media(8)

méxico(1)

música(7)

nacional(102)

nuclear(7)

odisseias(4)

palestina(4)

paquistão(1)

peru(3)

política(13)

polónia(2)

porto(1)

prémios(13)

reino unido(1)

religião(7)

rússia(6)

saúde(13)

síria(1)

sociedade(37)

sócrates(4)

somália(5)

srebrenica(5)

sudão(1)

tailândia(2)

tchetchénia(2)

tibete(5)

timor(2)

todas as estrelas do céu(26)

turquemenistão(1)

turquia(4)

ue(10)

uk(6)

ulster(2)

usa(21)

videos(6)

vietname(1)

zimbabwe(2)

todas as tags

procurar nos discursos

 

discursos recentes

Abraracourcix e a sua ald...

O fim do petróleo - cenár...

Não às detenções secretas

Razões antropológicas par...

Altermundo reaberto

Vive la France

Bem vindos ao Turquemenis...

Break my arms...

Editors

O PCP e o Tibete: a minha...

O PCP e o Tibete: respost...

Mais um pouco de luz para...

Luz ao fundo do túnel par...

Mail por mim enviado ao P...

Eleitoralismo precoce

discursos antigos

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Janeiro 2005

Outubro 2004

Setembro 2004